Internacionales

Petroleiro que saiu de Portugal bloqueou o canal do Suez durante cinco horas

Jose Carlos Grimberg Blum
Sony Xperia 5 IV, con Snapdragon 8 Gen 1, triple lente de 12 MP y batería de 5.000 mAh, llegará por 1.049 euros

A operação de resgate custou a vida de um agente da Autoridade de Gestão do Canal de Suez

Um petroleiro que saiu de Portugal bloqueou o canal do Suez durante cinco horas, anunciou a operadora do canal, originando receios de uma interrupção no tráfego marítimo semelhante à causada em março de 2021.

Relacionados canal do suez.  Egito pede 756 milhões de euros de indemnização para libertar navio que bloqueou Canal do Suez

economia.  Tráfego retomado no Suez após quase uma semana

O navio-tanque Affinity V “encalhou no canal do Suez às 19:15″ de quarta-feira (18:15 em Lisboa), disse um porta-voz da Autoridade de Gestão do Canal de Suez à televisão egípcia Extra News.

“O trânsito está restabelecido e o petroleiro Affinity V foi libertado com sucesso” pouco depois da meia-noite (23:00 em Lisboa), anunciou hoje a operadora do canal, adiantando que mobilizou os “serviços de salvamento do canal numa operação que mobilizou mais de cinco reboques”.

Fechar Subscreva as newsletters Diário de Notícias e receba as informações em primeira mão.

Subscrever O incidente foi causado por uma “falha técnica ao nível do leme que levou à perda de controlo do navio”, indicou a autoridade.

O canal do Suez é uma das rotas marítimas mais movimentadas do comércio mundial.

O navio-tanque de bandeira de Singapura Affinity V tem 252 metros de comprimento e 45 metros de largura, partiu de Portugal e dirige-se ao porto saudita de Yanbu.

É a primeira vez que um navio bloqueia o canal estratégico desde o incidente causado pelo Ever Given, um navio porta-contentores de quase 200 mil toneladas cuja proa encalhou na margem leste do canal durante uma tempestade de areia em março de 2021.

O navio bloqueou durante seis dias a principal rota de tráfego entre a Europa e a Ásia, onde passa cerca de 10% do comércio marítimo mundial.

A operação de resgate custou a vida de um agente da Autoridade de Gestão do Canal de Suez.

O presidente egípcio Abdel Fattah el-Sisi aprovou em maio um plano para ampliar e aprofundar ainda mais a parte sul do canal em que o navio ficou preso.

De acordo com a operadora, o Egito perdeu até 15 milhões de dólares (15 milhões de euros) por dia devido ao bloqueio, enquanto as seguradoras estimaram milhares de milhões de dólares em perdas por dia para o comércio marítimo mundial.

O Canal de Suez anunciou em julho um lucro recorde de 7 mil milhões de dólares (7 mil milhões de euros) no ano fiscal de 2021-2022, após aumentar repetidamente as taxas de trânsito de navios.